17.9 C
Franca
maio 22, 2024
AgriculturaNotícias

Valor da Produção Agropecuária do Estado de São Paulo: resultado preliminar de 2018

O Valor da Produção Agropecuária (VPA) estimado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) apresenta, preliminarmente, os resultados econômicos das principais atividades da agropecuária paulista de 2018, constituindo-se em fonte de subsídios para tomadas de decisão no âmbito das cadeias produtivas da agropecuária e na economia de maneira geral, podendo servir de parâmetro para os diversos agentes econômicos e também para os órgãos do governo, na definição e implantação de políticas públicas.

Para o cálculo do VPA, os dados da produção vegetal e animal de 50 produtos selecionados foram obtidos dos cinco levantamentos de previsão e estimativas de safras efetuados anualmente em todos os municípios do estado pelo IEA e pela CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), ambos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado1,2,3,4.

Os preços médios mensais correntes recebidos pelos produtores de janeiro a dezembro de 2017 e de janeiro a setembro de 2018 foram obtidos no Banco de Dados do IEA5. Os preços dos produtos olerícolas e das frutas, exceto os de batata, cebola, mandioca para mesa, tomate, banana, laranja e tangerina são da Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP)6, ponderados por variedades para cada espécie e decompostos a partir dos preços de venda do atacado. Os produtos foram classificados conforme suas peculiaridades em cinco grupos: Produtos para Indústria, Produtos Animais, Frutas Frescas, Grãos e Fibras e Olerícolas. A variação do VPA dos produtos considerados foi calculada com base em índices de preços e quantidades obtidos com base na fórmula de Fisher (base 2017=100)7.

A estimativa preliminar do VPA paulista em 2018 resultou em R$ 74,03 bilhões, acusando uma queda de 2,81% relativamente ao obtido no ano anterior. Excluindo-se a cana-de-açúcar, o VPA total do estado apresentou ligeiro acréscimo de 0,87% conforme analisado na Tabela 1. Em termos reais, quando deflacionados os preços pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)8, base outubro, a redução da estimativa preliminar do VPA paulista foi de 6,51%, influenciada fortemente pela queda de 8,14% observada no VPA da cana-de-açúcar, cuja participação no VPA total do Estado foi de 38,61%. Entre os dez primeiros produtos do ranking de VPA do estado, também apresentaram redução os VPAs da laranja para indústria, terceira posição no ranking, precedida pela cana-de-açúcar e pela carne bovina (-2,04%), e sucedida pelos ovos de galinha na sexta posição (-4,76%) e pelo leite na nona posição (-5,75%).

O grupo de Produtos para Indústria acusa um decréscimo de 5,91% no VPA atual. Dos produtos que o compõem, todos resultaram em valores da produção menores, relativamente ao ano anterior, principalmente por conta de menores preços recebidos pelos produtores na atual safra agrícola. A queda não foi maior por conta do expressivo aumento verificado no VPA do café beneficiado (23,05%), causado pelo crescimento da produção, por causa da bienalidade.

Entre os cinco grupos de produtos considerados, apenas o de Grãos e Fibras apresentou crescimento do VPA (15,56%) com consequente aumento de sua participação no VPA total do estado, que evoluiu de 9,50% para 11,30%. A soja, cujo VPA ocupa a 5ª posição no ranking estadual, apresentou aumento tanto de produção quanto de preço, respectivamente de 14,78% e 6,04%. O preço médio do milho acusou aumento de 29,83%, compensando a queda de 9,41% no volume produzido, chegando o seu VPA a 17,62% maior que o obtido em 2017. O trigo e o sorgo tiveram seus preços médios majorados em 32,91% e 34,11%, respectivamente, compensando largamente as reduções verificadas na produção, efetivando aumentos nos respectivos VPA de 28,25% e 30,52%. Da mesma forma, a queda de 4,63% no preço médio recebido pelo produtor de amendoim foi compensada pela elevação de 14,99% no volume produzido. Por outro lado, o preço médio do feijão apresentou queda de 21,19% o que implicou em uma redução de 18,94% em seu VPA. Dos grãos considerados o feijão e o arroz foram os únicos que apresentaram queda de VPA.

O grupo de produtos que apresentou a maior queda de VPA em 2018 foi o das Frutas Frescas, 8,90%. Neste grupo a laranja de mesa e a banana são as únicas que, via de regra, figuram entre os dez produtos de maior VPA; contudo, a banana, que em 2017 figurava na 10ª posição, caiu para 11ª em 2018 depois de uma queda de 14,78% em seu VPA. O limão, que é a terceira fruta no ranking do estado, acusou uma queda de VPA de 15,19%, basicamente em função de redução de preço (36,65%), uma vez que acusou um aumento de produção de 33,88%. Das 14 frutas consideradas no estudo, 6 apresentaram redução do VPA. O VPA da tangerina foi o que apresentou maior redução, 43,76%.

O VPA do grupo de Produtos Animais foi o que apresentou a menor variação; a estimativa preliminar apontou uma queda de 0,86% entre 2017 e 2018. Dos sete produtos considerados, três apresentaram queda de valor; o ovo de galinha, o leite e o mel. Os dois primeiros basicamente em função de queda de preços, já que ambos apresentaram aumento de produção. O mel foi o produto animal que apresentou a maior queda de VPA, 23,55%, lembrando que sua participação no VPA total do estado é de apenas 0,06%, enquanto que o ovo de galinha e o leite figuram, regularmente, entre os dez produtos de maior VPA do estado, em 2018 na 6ª e 9ª colocação no ranking estadual de São Paulo.

Os dez primeiros colocados no ranking do VPA representaram aproximadamente 83,0% do VPA total do Estado de São Paulo.

1MARTINS, V. A. et al. Previsões e estimativas das safras agrícolas do Estado de São Paulo, ano agrícola 2017/18, fevereiro de 2018. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 13, n. 4, p. 1-9, abr. 2018. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=14453>. Acesso em: out. 2018.

2_____. Previsões e estimativas das safras agrícolas do Estado de São Paulo, ano agrícola 2017/18, abril de 2018. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 13, n. 7, p. 1-11, jul. 2018. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=14484>. Acesso em: out. 2018.

3_____. Previsões e estimativas das safras agrícolas do Estado de São Paulo, ano agrícola 2017/18, junho de 2018. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 13, n. 8, p. 1-10, ago. 2018. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=14505>. Acesso em: nov. 2018.

4CAMARGO, F. P. et al. Previsões e estimativas das safras agrícolas do Estado de São Paulo, intenção de plantio do ano agrícola 2018/19 e levantamento final ano agrícola 2017/18, setembro de 2018. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 13, n. 11, p. 1-10, nov. 2018. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=14539>. Acesso em: nov. 2018.

5INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA – IEA. Banco de dados. Preços médios mensais recebidos pelos agricultores. São Paulo: IEA, 2018. Disponível em: <http://ciagri.iea.sp.gov.br/nia1/precos_medios.aspx?cod_sis=2>. Acesso em: set. 2018.

6COMPANHIA DE ENTREPOSTOS E ARMAZÉNS GERAIS DE SÃO PAULO – CEAGESP. Banco de dados. São Paulo: CEAGESP, 2018. Disponível em: <http://www.ceagesp.gov.br>. Acesso em: set. 2018.

7HOFFMANN, R. Estatística para economistas. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1991. 426 p.

8INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Índices nacionais de preços ao consumidor (IPCA). Rio de Janeiro: IBGE, 2018. Disponível em: <https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/defaultseriesHist.shtm>. Acesso em: nov. 2018.

Related posts

AMSC- Região da Alta Mogiana Paulista

Fabrício Guimarães

Café de altitude em Minas Gerais ganha selo de origem e impulsiona mercado especial

Fabrício Guimarães

MANEJO ADEQUADO REDUZ RISCOS DE BICHEIRA EM BOVINOS, ALERTA PESQUISADORA DA EMBRAPA

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais