27.3 C
Franca
junho 20, 2024
AgriculturaNotícias

Clima impulsiona a colheita de soja

Colheita da soja é concluída em parte do RS.

De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado na última quinta-feira (06/06) pela Emater/RS-Ascar, períodos secos e ensolarados, embora breves, favoreceram o avanço da colheita de lavouras de soja no Rio Grande do Sul. Os grãos apresentavam condições físicas e sanitárias relativamente melhores, apesar do longo período de maturação a campo. Em regiões como Noroeste, Alto Uruguai, Nordeste e parte do Planalto, a colheita foi concluída. Entretanto, no Sul e na Campanha, ainda restam muitas lavouras a serem colhidas, resultando em elevadas perdas de produção e econômicas. No balanço estadual, estima-se que 96% das áreas foram colhidas.

As lavouras em colheita apresentaram perdas crescentes devido à debulha natural, grãos germinados e avariados, e falhas na trilha, causadas pelo excesso de umidade. De forma geral, houve uma perda expressiva na qualidade dos grãos.

Até o início das intensas precipitações em 29 de abril, as produtividades eram muito satisfatórias, atingindo picos de 5.400 kg/ha e uma produção mediana pouco acima de 3.300 kg/ha. No entanto, a impossibilidade de colheita imediata das lavouras maduras alterou abruptamente a perspectiva para as áreas remanescentes, impactando negativamente a produção e a produtividade.

A Emater/RS-Ascar havia estimado, em novembro de 2023, uma produção de 22.246.630 toneladas em uma área de 6.681.716 hectares, com produtividade de 3.329 kg/ha. Porém, a área afetada pelo evento climático está estimada em 1.490.505 hectares, resultando em perdas de 2.714.151 toneladas. A nova estimativa de produção estadual, descontando as perdas, deverá totalizar 19.532.479 toneladas, com produtividade reduzida para 2.923 kg/ha.

Na região administrativa de Bagé, a colheita avançou, apesar das dificuldades devido à alta umidade do solo e dos grãos. Em Rosário do Sul, a colheita alcançou 95%; em Dom Pedrito, 76%; e em Candiota e Hulha Negra, 70%. Diversas cerealistas estão rejeitando cargas com umidade acima de 25%.

Na Fronteira Oeste, em São Borja e Maçambará, a colheita está quase concluída, mas as cargas entregues apresentam altos percentuais de impurezas. Em Caxias do Sul, a colheita foi encerrada com perda de cerca de 20 mil hectares, e o rendimento médio está estimado em 3.459 kg/ha. Em Erechim, a colheita foi concluída com produtividade média de 3.820 kg/ha.

Em Frederico Westphalen, a colheita foi finalizada com produtividade de 3.600 kg/ha. Na região de Ijuí, restam apenas lavouras de segundo cultivo. Em Passo Fundo, a colheita foi finalizada com produtividade regional de 4 mil kg/ha. Na região de Pelotas, a produtividade regional está em 1.584 kg/ha, com muitas lavouras não colhidas devido a condições inviáveis.

Na região de Santa Maria, restam poucas lavouras a serem colhidas, com expectativa de produtividade reduzida para 2.500 kg/ha. Em Santa Rosa, a colheita foi concluída com produtividade final de 3.173 kg/ha. Em Soledade, a produtividade projetada caiu de 3.300 kg/ha para 2.830 kg/ha devido às perdas nas áreas atingidas pelas chuvas.

O valor médio da saca de 60 quilos retraiu 0,81%, passando de R$ 123,09 para R$ 122,09 na última semana, de acordo com o levantamento semanal de preços da Emater/RS-Ascar.

AGROLINK – Seane Lennon

Related posts

Simcafé 2019: resumo do 2º dia

Fabrício Guimarães

Mundo tem que se adaptar à inevitável mudança climática

Fabrício Guimarães

Funcafé repassa R$ 5,49 bilhões aos agentes financeiros

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais