27.3 C
Franca
junho 20, 2024
AgriculturaEventosNotícias

Estado de São Paulo é pioneiro em sistema de distribuição de biogás no Brasil

O projeto “Cidades Sustentáveis”, que contempla Presidente Prudente e Pirapozinho, foi lançado durante a Agrishow em Ribeirão Preto

O Governo de São Paulo fechou uma parceria que garante a dois municípios paulistas o pioneirismo em sistemas de distribuição de biometano no país. Pelo acordo firmado com a iniciativa privada, os municípios de Presidente Prudente e Pirapozinho poderão usar gás gerado a partir do processamento de resíduos da cana-de-açúcar. Na primeira etapa, a estimativa é que 230 mil pessoas sejam beneficiadas com a medida.

“Será possível explorar mais uma forma de energia proveniente da cana-de-açúcar. O objetivo é transformar os resíduos do processamento em biometano e promover o desenvolvimento sustentável. Poderemos gerar emprego, renda e também contribuir com o meio ambiente”, disse o Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

As empresas parceiras no projeto são a GasBrasiliano, responsável pela distribuição de gás natural na região noroeste paulista, e a Usina Cocal. O gás será gerado no processamento de resíduos como bagaço, vinhaça e palha da cana. A distribuidora vai investir R$ 30 milhões no projeto, e outros R$ 130 milhões virão da usina para a produção do combustível.

GasBrasiliano construirá 65 quilômetros de rede de distribuição, que levará o biometano da Usina Cocal, no município paulista de Narandiba, até Presidente Prudente para atender residências, comércios, indústrias e veículos leves e pesados movidos a GNV, além de fomentar a expansão da rede em regiões mais distantes. A estimativa é que a operação comece no segundo semestre de 2020.

“O projeto viabilizará a chegada do gás a novos municípios a partir de uma nova fonte de suprimento“, afirmou o diretor-presidente da GasBrasiliano, Walter Fernando Piazza Júnior.

O diretor-superintendente da Cocal, Paulo Zanetti, declarou que “a demanda por biogás na região do Oeste Paulista tem aumentado significativamente nos últimos anos e, como produzir energia limpa e renovável é uma das frentes do negócio da empresa, identificamos uma tecnologia capaz de garantir a produção desse gás por doze meses, e não apenas no período de safra”.

Cidades Sustentáveis

A região do Vale do Paranapanema, onde ficam os dois municípios do projeto, não conta com rede de distribuição de gás por estar distante do gasoduto Bolívia-Brasil. O projeto “Cidades Sustentáveis” viabilizará a chegada do biogás por meio da nova fonte de suprimento renovável. O modelo poderá ser replicado e contribuir para o desenvolvimento do Oeste paulista, que concentra a maior quantidade de usinas sucroalcooleiras no Estado.

“A Arsesp [Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo], atenta a este potencial energético, elaborou em 2017 a Deliberação nº 744, que regulamenta de forma inédita no Brasil as condições de distribuição de biometano na rede de gás canalizado do Estado. Esta normativa estabelece as regras para que o biometano fornecido pelos produtores possa ser inserido na rede pública de gás canalizado”, disse o Diretor-Presidente da agência, Hélio Castro.

O biometano é considerado pelo mercado uma alternativa econômica e ambientalmente viável para incrementar e diversificar a matriz energética nacional.

 

Related posts

Faesp defende renovação de convênio interestadual para evitar aumento do ICMS

Fabrício Guimarães

Trigo: Vendedor cauteloso e comprador retraído desaquecem mercado

Fabrício Guimarães

Como serão as máquinas agrícolas do futuro na visão do presidente da Case

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais