23.4 C
Franca
fevereiro 23, 2024
Avicultura

FAESP Alerta governo federal e estadual para evitar a entrada da influenza aviária no país

por FAESP

Presidente da Federação, Fábio de Salles Meirelles, alerta que surto da doença pode provocar danos significativos à produção

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP) encaminhou ofícios aos governos estadual e federal alertando sobre os riscos e para reforço de medidas de prevenção à entrada da influenza aviária no País. “Os recentes focos da doença reportados na América do Sul estão causando preocupação no setor produtivo. Afinal, trata-se de uma doença exótica no Brasil, uma enfermidade de alta patogenicidade e que, na ocorrência de um surto, pode provocar danos significativos à agropecuária paulista e nacional”, alertou o presidente da FAESP, Fábio de Salles Meirelles.

A FAESP enviou ofícios nesta semana ao ministro da Agricultura e Pecuária Carlos Henrique Baqueta Fávaro, e ao secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Antonio Julio Junqueira de Queiroz, nos quais descreve a ocorrência do surto de influenza aviária nos países vizinhos e a preocupação do setor produtivo.

O presidente da Federação ressaltou que a avicultura paulista é a quarta atividade de maior importância no agronegócio do Estado, bem como a maior produtora de ovos comerciais do Brasil, sendo responsável por 29,6% da produção nacional. “Devemos continuar zelando por nossa biosseguridade para manter o status sanitário e patrimônio avícola. Entretanto, em caso de ocorrência da enfermidade no Estado, precisamos estar igualmente preparados com os devidos planos de contingência para minimizar os impactos sanitários e econômicos associados”, destacou o presidente.

Meirelles ressaltou que, em recente publicação, a Organização Panamericana de Saúde (OPAS) alerta para a detecção de surtos de gripe aviária em dez países da Região das Américas, sendo que três destes fazem fronteira com o Brasil. “A OPAS alerta também para a confirmação do primeiro caso de infecção humana de gripe aviária A(H5) na América do Sul. Estes fatos colocam os países da região em alerta máximo, com especial atenção para o Brasil, visto que o país é um dos principais produtores e exportadores de produtos avícolas no mundo”, completou o presidente.

Meirelles reiterou que a Federação está à disposição para atuar em parceria e levar informações e programas aos produtores rurais, “com vistas a preservar a avicultura paulista e brasileira”.

Related posts

PRODUTORES RURAIS DEVEM REFORÇAR AS MEDIDAS DE PREVENÇÃO CONTRA A INFLUENZA AVIÁRIA

Fabrício Guimarães

Crescimento da economia mineira beneficiará cadeia produtiva da avicultura

Fabrício Guimarães

Pintos de corte iniciam 2023 com produção inferior a 600 milhões de cabeças

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais