12.4 C
Franca
julho 21, 2024
Agricultura

Agro deve manter dinamismo da balança comercial, apesar de queda nos preços, mostra Icomex

As exportações da agropecuária responderam por 32% do valor total das exportações brasileiras em abril de 2023.

cotas agrícolas porto, carga, comércio internacional, exportação, importação - exportações - balança comercial - reino unido - barter

As exportações de produtos agropecuários brasileiros devem manter o dinamismo da balança comercial brasileira, apesar do recuo nos preços, que passam por uma normalização após o choque provocado pela guerra na Ucrânia, segundo o relatório do Indicador de Comércio Exterior (Icomex) divulgado nesta quinta-feira, 18, pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

“O recuo nos preços da agropecuária não se traduz em expectativas desfavoráveis para o desempenho do setor. No ano de 2022, o início da Guerra da Ucrânia levou a uma escalada de aumento de preços das commodities, em especial as do setor da agropecuária. Na comparação entre os meses de abril de 2022 e 2023, os preços aumentaram 46,7%. Esse recuo em abril reflete, em parte, a volta a patamares mais estáveis dos preços do setor”, avaliou a FGV na nota do Icomex.

A balança comercial brasileira teve um superávit de US$ 8,2 bilhões em abril. O valor exportado recuou 5,5% em relação a abril de 2022, puxado pela queda de 9,5% nos preços, enquanto o volume aumentou 4,1%. As importações caíram 7,7% em valor, devido a uma queda de 10,6% nos preços, enquanto o volume aumentou 3,2%.

A análise das exportações por atividades mostra uma queda de 11,6% no valor exportado da indústria extrativa em abril de 2023 ante abril de 2022, devido ao tombo de 21,4% nos preços, enquanto o volume subiu 13,5%.

A indústria de transformação exportou 12,0% menos em valores, com recuo de apenas 2,8% nos preços, mas redução de 9,6% no volume. Já a agropecuária registrou um aumento de 10,6% em valores exportados, impulsionados por um avanço de 20,1% no volume, já que os preços caíram 8,2% em abril de 2023 ante abril de 2022.

“A agropecuária é a principal fonte de dinamismo das exportações brasileiras até o momento, liderada pelo aumento do volume. A soja lidera no primeiro semestre do ano e a continuação desse protagonismo requer a sustentação das outras exportações agropecuárias. Por enquanto, mesmo com preços estáveis, as expectativas têm sido favoráveis com a retomada das compras chinesas de carne. Além disso, com a safra favorável e os problemas na Argentina (seca e questões cambiais), o cenário sinaliza para o aumento das exportações do Brasil em 2023 em relação a 2022”, avaliou a nota do Icomex.

As exportações da agropecuária responderam por 32% do valor total das exportações brasileiras em abril de 2023. Em abril de 2022, essa fatia era de 27%.

No mês de abril, o maior aumento no volume exportado pelo Brasil foi com destino à Argentina, 30,3% de alta ante abril de 2022, com destaque para as participações de produtos do setor automotivo e da soja.

O volume exportado pelo Brasil para a China, principal mercado das exportações brasileiras, registrou aumento de 15,8% em abril de 2023 ante abril de 2022. As remessas brasileiras para os Estados Unidos recuaram 7,6%, e para a União Europeia houve queda de 10,8%.

Por: Canal Rural

Related posts

Especialista fala sobre como as condições climáticas atuais impactam no plantio do café

Fabrício Guimarães

Café e fertilizantes: Produtor que não aproveitou bom momento na relação de troca, agora está pagando 30% mais caro

Fabrício Guimarães

Soja caminha na mesma toada durante a semana.

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais