14.6 C
Franca
maio 22, 2024
AgriculturaAgroindustriaGestão Rural

Saiba mais sobre os legumes que estão na época em agosto

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo desenvolve por meio da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), um trabalho de apoio ao escoamento dos produtos hortifrutigranjeiros, incentivando a utilização de produtos da época. Também disponibiliza dicas de como planejar os cardápios e as compras e como aproveitar integralmente os alimentos.

Na primeira matéria dessa nova série sobre os alimentos da época falamos sobre as frutas, hoje iremos falar sobre os legumes.

A maioria dos legumes é fonte de vitaminas, minerais e fibras. Dentre as vitaminas, destacam-se a vitamina C, que exerce papel antioxidante e auxilia na resistência a infecções, e a pró-vitamina A ou betacaroteno, que auxilia no processo visual, no bom funcionamento do sistema imunológico, no desenvolvimento e no crescimento humano. Já as fibras têm o papel de auxiliar no bom funcionamento do intestino, sendo importante lembrar que essa ação só ocorre se o seu consumo for acompanhado de água.

  • Abóbora: Rica em betacaroteno, um precursor da vitamina A, importante antioxidante que tem como função neutralizar radicais livres, prevenir doenças cardíacas e reforçar o sistema imunológico. Além disso, suas sementes são boas fontes de fibra, proteínas, vitaminas do complexo B, magnésio, que regula as contrações musculares e ômega 3 e 9, ácidos graxos mono insaturados que ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue e previnem doenças cardiovasculares.

De acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), o Estado de São Paulo produziu em 2018 um pouco mais de quatro mil hectares de abóbora seca, com um total de 65,3 mil toneladas. A regional da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) de Itapeva foi a principal produtora do legume, com mais de 23 mil toneladas.

  • Abobrinha: Possui em sua composição muita água e grande quantidade de fibra, vitaminas do complexo B e magnésio. Auxilia no sistema digestivo e no sistema imunológico. Pode ser consumida de diversas formas, entre elas, substituindo massa em algumas preparações, além de ser pouco calórica.

Dados do IEA apontam que no ano passado a abobrinha foi produzida em quase três mil hectares, chegando a um total de 2,5 milhões de caixas de 20 Kg. A regional da CDRS de Itapeva é a principal região produtora com um total de 525,6 mil caixas de 20 Kg cada.

  • Berinjela: A berinjela é hipocalórica, contendo apenas 20kcal em 100g do alimento. Além disso, é rica em antocianina, (um antioxidante que age na prevenção de câncer e doenças cardíacas), e em fibras, que auxiliam no bom funcionamento do intestino, evitando a constipação.

Em 2018 o Estado produziu por volta de 1,5 mil hectares de berinjela, que rendeu 3,8 milhões de caixas com 13 kg cada. A regional de São João da Boa Vista é a principal produtora do legume com um resultado de 600 mil caixas de 13 kg.

  • Brócolis: Rico em vitamina C, cálcio, vitamina A, ácido fólico, potássio e fibras. Contém antioxidantes que previnem doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer, além de reduzir o colesterol sanguíneo. Opte pela cocção a vapor, para preservar a vitamina C e o potássio.

O brócolis foi produzido em 2,6 mil hectares em 2018. O IEA também informou que o total produzido no Estado foi de três milhões de engradados/ maços/ 15 kg. A principal região produtora do legume é a de Mogi das Cruzes, com um total de quase 892 mil engradados/ maços/ 15 kg.

  • Couve-flor: Uma hortaliça tenra e delicada conquista o paladar de muitos. Além de suas várias formas de preparo, como cozidas em saladas, refogada, assada ou em recheios de tortas, a couve-flor traz benefícios para a saúde pois é rica em cálcio e fosforo, contribuindo para a saúde de ossos e dentes; fonte de vitaminas antioxidantes, que agem contra os radicais livres e vitamina C, que auxilia no fortalecimento do sistema imunológico.

A regional de Sorocaba é a principal produtora de couve-flor, com 836 mil engradados/ 30 cabeças. Já o Estado de São Paulo teve um total de 2,9 mil hectares, que produziram um total de quase 2,4 milhões de engradados/ 30 cabeças.

Fonte: Agricultura e Abastecimento

Related posts

Seguro Cocapec para transporte de café em grão

Fabrício Guimarães

Brasília sediará em 2020 reunião internacional de proteção de cultivares

Fabrício Guimarães

Divulgada lista dos produtos com direito a bônus do PGPAF em setembro

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais