17 C
Franca
abril 24, 2024
Agricultura

Exportações do agronegócio mineiro estreiam 2023 com novo recorde e somam US$ 961 milhões em janeiro

Por Seapa MG:

Postado em: 15/02/23

As exportações do agronegócio mineiro alcançaram US$ 961 milhões em janeiro, com crescimento de 6,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse resultado indica recorde de melhor performance para o mês de janeiro da série histórica, acompanhada desde 1997.

O bom resultado também foi registrado em relação ao volume, com o embarque de 680 mil toneladas e crescimento de 0,6%. “As exportações de Minas estão sendo beneficiadas pela valorização das commodities. O preço médio da tonelada apresentou alta de 5,6%”, aponta o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Thales Fernandes.
Os produtos foram enviados para 133 países. Os principais destinos foram China (US$ 186 milhões), Alemanha (US$ 132 milhões), Estados Unidos (US$ 113 milhões), Itália (US$ 50 milhões) e Japão (US$ 49 milhões), respondendo por 55,4% da receita.

A pauta foi liderada pelas vendas de café (55%), produtos florestais (13%), carnes (12%), complexo sucroalcooleiro (10%) e complexo soja (5%).

Café

O principal item da pauta exportadora do agronegócio mineiro alcançou a receita de US$ 523 milhões, representando quase 55% da receita das vendas externas. O café foi enviado para 66 países, liderados pela Alemanha (US$ 112 milhões). A França se destacou no ranking dos países importadores, com o aumento de 123% de suas compras de café, posicionando-se entre os sete principais destinos do produto.

Produtos Florestais

O aumento significativo das vendas de produtos florestais (celulose, madeira e papel) levou o segmento a sair da quinta posição que ocupa regularmente no ranking para o segundo lugar na pauta exportadora do agro mineiro.
A receita alcançou US$ 123 milhões (+114%) com o embarque de 149 mil toneladas (+20%). A celulose é o principal produto do segmento e puxou o crescimento das vendas. A China é a principal importadora de celulose e se destacou na aquisição deste produto.

Carnes

As carnes também mantiveram boa performance e todas as proteínas (bovina, frango e suíno) apresentaram crescimento. As vendas somaram US$ 114 milhões e 32 mil toneladas comercializadas. O aumento foi de 12% e 18%, no valor e volume, respectivamente.

O setor de bovinos liderou as vendas com US$ 81 milhões e 17 mil toneladas. A China é o principal parceiro comercial nesse segmento e ampliou em 47% as compras, na comparação com o mês de janeiro do ano anterior.
O setor de frango totalizou US$ 29 milhões e 18 mil toneladas. O mercado chinês responde por 36% das compras dessa proteína animal.

As exportações de carnes suínas totalizaram US$ 3,6 milhões e 2,5 mil toneladas. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o aumento foi de 41% no valor e 22% no volume. O Uruguai manteve a liderança das compras, enquanto o Vietnã ultrapassou Hong Kong pela 2ª posição no ranking.

Complexo Sucroalcooleiro

Composto por vendas de açúcar de cana, álcool e demais açúcares, o grupo obteve receita de US$ 96 milhões, com a comercialização de 217 mil toneladas. O açúcar, principal componente, registrou aumento de 74% no valor e 32% no volume. Iêmen e China lideraram as compras da commodity.

Complexo Soja

As exportações do complexo soja (grão, farelo e óleo) registraram US$ 45 milhões de receita e 59 mil toneladas embarcadas. Normalmente segundo colocado no ranking dos produtos exportados, o grupo registrou queda no valor (-57%) e no volume (-67%), devido ao período da baixa oferta da soja, que ainda está no início da colheita no país. O farelo de soja foi o item mais comercializado com US$ 21 milhões e o embarque de 22 mil toneladas.

Related posts

A importância da LCA para o agronegócio

Fabrício Guimarães

Produtor de fumo investe no solo para altas produtividades

Fabrício Guimarães

Cotações futuras do café caem nesta 5ªfeira com real mais fraco

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais