18.5 C
Franca
abril 13, 2024
Gestão RuralPecuáriaPolítica Rural

Discussão sobre evolução do status sanitário da aftosa reúne o Brasil na Expointer

Às vésperas do início de auditoria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para avaliar as condições do Rio Grande do Sul para evoluir seu status sanitário para livre de aftosa sem vacinação, o Estado recebeu nesta sexta-feira (30) o 1º Fórum Nacional do PNEFA (Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa). O evento foi realizado no auditório central do Parque de Exposições Assis Brasil, na Expointer, em Esteio.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Covatti Filho, destacou a importância do fórum na Expointer: “É uma grande oportunidade de reunirmos pessoas de todo o Brasil para discutir a evolução do status sanitário dos Estados e, no caso do Rio Grande do Sul, de livre de aftosa sem vacinação, o que abrirá oportunidades comerciais importantes”.

O fórum é organizado pelo Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), através da Divisão de Febre Aftosa, e com a colaboração da Superintendência Federal de Agricultura no Rio Grande do Sul, em parceria com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e entidades do setor.

Na abertura do evento, o diretor do Departamento de Saúde Animal do Mapa, Geraldo Moraes, destacou a importância do encontro, que possibilita a produtores e gestores conhecer em um único dia a realidade nacional.

Pela manhã, foram discutidos os principais desafios do PNEFA e a participação do setor privado na implantação, execução e gestão do Plano Estratégico. “Estamos aqui ouvindo e colhendo sugestões do setor”, declarou Moraes.

Representante da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), Maurício Saito reforçou a importância das ações do setor público e privado estarem de acordo. “Esse é um momento de evolução. O produtor está entendendo que o mundo exige não só alimento, mas segurança alimentar”, declarou.

O Rio Grande do Sul está no Grupo 5 do Ministério da Agricultura, cuja previsão inicial era manter a vacinação contra a aftosa até 2021 e reconhecimento de zona livre da doença sem vacinação em 2023. Na próxima segunda-feira (2), inicia-se a auditoria do Ministério da Agricultura para avaliar a possibilidade de adiantar a retirada da vacinação contra a aftosa no Estado. “Nossa expectativa é positiva, mas a avaliação técnica é que vai identificar se há segurança na tomada de decisão”, explicou Rogério Kerber, presidente do Fundesa (Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS).

O Fórum Nacional de Febre aftosa tem transmissão ao vivo pelo YouTube. O conteúdo das palestras e discussões vai estar disponível após o evento na plataforma.

Fonte: Portal Expointer

Related posts

Grupo 3corações assume operação de café torrado e moído da Mitsui Alimentos

Fabrício Guimarães

Secretaria de Agricultura e Abastecimento realiza treinamento sobre javali e os impactos em Saúde Única no estado de SP

Fabrício Guimarães

Volume de bovinos vivos exportados aumentou em março

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais