15.6 C
Franca
maio 29, 2024
AgriculturaAgroindustriaGestão RuralPecuáriaPolítica Rural

CONTRATAÇÕES DO CRÉDITO RURAL NOS DOIS PRIMEIROS MESES DA SAFRA SOMAM R$ 39 BILHÕES

O valor das contratações das operações de crédito rural nos dois primeiros meses da safra 2019/2020 (julho e agosto) foi de R$ 38,9 bilhões. As operações de custeio somaram R$ 24,8 bilhões (+ 2%), investimento, R$ 7,2 bilhões (+14%), comercialização, R$ 4 bilhões (-41%) e as de industrialização somaram R$ 2,9 bilhões (+40%).

Os números fazem parte do Balanço de Financiamento Agropecuário Safra 2019/2020, divulgado nesta sexta-feira (6) pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com base nos dados do Sistema de Operações do Crédito Rural e do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), do Banco Central.

O custeio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) alocou R$ 5,9 bilhões (+28%). Esse montante de recursos corresponde a 37.356 contratos (+15%).

Para o custeio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), foram financiados 148.367 contratos (-2%) equivalendo a R$ 4,4 bilhões (+16%).

As linhas de investimento tiveram performance bastante positiva, com o Pronamp alocando R$ 413 milhões (+71%), com 3.268 contratos (+38%) e o Pronaf com R$ 2,1 bilhões (+15%) e 160.083 contratos (-4%).

Dentre os programas de investimento, destaque para o Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária), Programa ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) e Moderinfra (financiamento para o desenvolvimento da agropecuária irrigada sustentável), respectivamente com variação de +109%, +55% e +45% superior à safra passada.

Apesar de o crédito para a comercialização ter valor aplicado, nesta safra, inferior ao da safra passada, foram R$ 4 bilhões contra R$ 6,8 bilhões no período anterior, o número de contratos aumentou em 19%, somando 5.320 contratos, o que representa atendimento a um maior número de produtores rurais com valores de contrato mais baixos.

Em relação às fontes de recursos do crédito rural destacam-se a poupança rural controlada (R$ 14,7 bilhões; +38%), os programas de investimento com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social/BNDES (R$ 2,9 bilhões; +16%), as Letras de Crédito do Agronegócio/LCAs (R$ 4,5 bilhões; +31%) e a poupança rural livre (R$ 1,2 bilhão; +143%).

FonteMAPA

Related posts

Polinização e florescimento no café arábica sob efeito de gás carbônico são analisados

Fabrício Guimarães

A CRIA PODE SER RENTÁVEL?

Fabrício Guimarães

Centro de Café do IAC busca parcerias para desenvolvimento tecnológico

Fabrício Guimarães

Deixe um comentário

Usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Aceitar Leia Mais